A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Mensagem  Campanorium em Seg Nov 02, 2015 12:22 am

.


Última edição por Campanorium em Ter Nov 10, 2015 3:39 pm, editado 1 vez(es)

Campanorium

Mensagens : 2
Pontos : 4
Data de inscrição : 02/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Mensagem  Campanorium em Sab Nov 07, 2015 10:45 am

Corrige aí, Lucas, por favor Very Happy

Campanorium

Mensagens : 2
Pontos : 4
Data de inscrição : 02/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Mensagem  LuhFurlan em Ter Nov 10, 2015 3:18 pm

(Correção Não Oficial) - Opinião

Segundo o pensador Thomas Hobbes, a legislação existe como um instrumento da sociedade que busca refrear a agressividade humana. Tem-se, portanto, na atualidade, leis que buscam proteger indivíduos de atitudes agressivas cometidas por outros, as quais, muitas vezes, não são respeitadas. Assim, há a questão da violência contra a mulher no Brasil, que, apesar da existência de algumas proteções legislativas, ainda persiste na sociedade devido a diversos fatores. Desse modo, são necessárias medidas que atuem em favor do combate aos fatores que favorecem a persistência de casos de violência contra o sexo feminino no país.
Primeiramente, é necessário destacar que um dos fatores que mais favorecem a persistência da violência contra a mulher no Brasil diz respeito à tendência de o sexo feminino ser fisicamente menos forte se comparado ao masculino. Desse modo, há um grande contingente de indivíduos que se aproveitam de tal fraqueza física do sexo feminino. Assim, a predisposição masculina a atividades corporais e a consequente força física maior, em decorrência dos níveis do hormônio testosterona, que contribui para o crescimento muscular, atuam em favor da ocorrência de casos de violência contra a mulher no Brasil, o que demonstra a necessidade de leis que atuem em favor de maiores penas destinadas aos indivíduos homens agressores de mulheres.
Além disso, vale destacar que os fatores que favorecem a persistência da violência contra a mulher no país não atingem somente o âmbito fisiológico dos sexos, como também dizem respeito à impunidade de muitos agressores. Assim, os casos de impunidade estão relacionados, muitas vezes, às denúncias não praticadas por diversas mulheres, em decorrência da dependência que muitas detém dos agressores, uma vez que diversos desses possuem vínculos afetivos com as agredidas e fornecem sustento e alojamento a essas. Desse modo, sem a existência de estadia adequada às mulheres agredidas, estas não denunciam casos relacionados à agressão física praticados, em diversas vezes, por companheiros, os quais ficam impunes.
Com a existência de tais dificuldades que atuam em favor da persistência da agressão contra a mulher no Brasil, são necessárias medidas que combatam tais empecilhos. Assim, o Estado, por meio da criação de novas leis que determinem o agravamento da pena de homens que realizarem quaisquer agressões corporais contra mulheres, deve punir com maior rigor os indivíduos que se aproveitarem do fato de as vítimas pertencerem ao sexo feminino, com o objetivo de diminuir a ocorrência de agressões físicas realizadas por homens contra mulheres. Além disso, é necessário que o governo atue com ordenamentos jurídicos destinados aos agressores de mulheres que tornem o agressor responsável pela estadia temporária destinada às vítimas, caso seja comprovada a real necessidade, com o intuito de possibilitar um maior número de denúncias de diversas mulheres agredidas. Por fim, após a tomada de tais medidas, ONGs devem divulgar os avanços obtidos no combate à persistência da violência contra a mulher no país por meio da distribuição de panfletos em ambientes públicos, tais como praças. Com a tomada de tais medidas, melhoras significativas surgiriam no Brasil.


Primeiro, para escrever uma redação para o ENEM, não é necessário que o titulo da proposta seja repetido umas cinco vezes na redação. Eles vão entender que você compreendeu a proposta sem precisar ficar falando da persistência da violência contra a mulher no país toda hora. Outra coisa, formalidade e linguagem difícil são coisas diferentes; você tentou usar uma formalidade tão forte que acabou deixando seu texto muito confuso. Não consegui entender diversas partes dele, por conta da LINGUAGEM DIFÍCIL. O número de repetições em seu texto também é absurda. Se você fez com atenção, precisa melhorar. Se você levou a sério, precisa prestar mais atenção.

*A fala de Hobbes precisava estar entre aspas, porque não é uma fala sua, você retirou a fala de um filósofo; toda ideia que tiramos de alguém, que não é de nossa autoria, precisa estar entre aspas; do contrário, podem considerar plágio.
Fatores que favorecem : ficou estranho. Meio sem nexo, ao mesmo tempo uma palavra dizendo exatamente o que a outra palavra está dizendo. Não ficou um bom inicio de argumento
Fatores que mais favorecem: novamente, uma repetição desnecessária e mal colocada; deixa o texto mais fraco
Persistência da violência contra a mulher no Brasil/país: repetição exagerada do nome da proposta da redação; demonstra insegurança, e causa um certo enjoo de se ler.
Sexo feminino: repetitivo; é necessário usar outros sinônimos, que não sejam "mulher", porque encontramos muita "mulher" no seu texto também;
Indivíduos homens agressores de mulheres: sem nexo, confuso. Seria melhor colocar "agressores", somente, não seria necessário repetir a quem eles estão agredindo, afinal, você já deixou muito claro ali em cima a qual gênero estamos tratando;
Mulheres agredidas: novamente, já foi dito acima que estamos falando de mulheres; seria melhor "vítimas" ou um outro sinônimo;
agressões físicas realizadas por homens contra mulheres : de novo, já sabíamos que as mulheres estão sofrendo com a agressão dos homens; podia simplesmente ter deixado uma leitura mais gostosa dizendo "agressões como as citadas acima", ou sem nada mais para completar sua frase.

C1: Domínio da Norma Culta da Língua: 120
C2: Compreensão da Proposta de Redação: 120
C3: Organização de argumentos, fatos : 40
C4: Conhecimento dos Mecanismos Linguísticos: 30
C5: Proposta de Solução: 160

Total: 470 *considere que sou apenas uma aluna Smile


LuhFurlan

Mensagens : 39
Pontos : 51
Data de inscrição : 06/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Mensagem  red1000 em Dom Set 11, 2016 10:20 am

Galera, o fórum atualmente encontra-se sem moderação. Como não estou dando conta das correções, estou migrando pra outra página de correção!!
Esse projeto é MUITO importante para ser descontinuado, visto que muita gente depende dele. Por isso, quem quiser corrigir suas redações, é só entrar no endereço abaixo e se cadastrar!
redacaonota1000.forum-livre.com


red1000

Mensagens : 3124
Pontos : 3128
Data de inscrição : 06/02/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum